Hello!
My name is Daniela and I'm from the beautiful city of Porto, in a totally non relevant country called Portugal!

I have an ability to go from angel to asshole in 3.5 seconds!

My Holy Trinity of idols is: Courtney Love, Kurt Cobain and Martin Gore!
In the old times, Marilyn Manson used to be one of my idols too...

PARENTAL ADVISORY: This blogger is known to reblog serial killers and a beautiful lady called Jessica Stoyadinovich a.k.a. Stoya!

SPOILER ALERT: This blogger is really not into pop music but she's known to adore and reblog two bitches with brains, talent and a lot of attitude: Pink and Lily Allen!

I also run a blog dedicated to Hole: http://fuckyeahhole.tumblr.com

A blog dedicated to Kurt Cobain and Courtney Love: http://kurt-and-courtney.tumblr.com


And a blog dedicated to John 5: john5fuckyeah.tumblr.com

2nd September 2014

Photo with 1 note

I won’t be making posts until Wednesday and I just wanted to leave him here :)

I won’t be making posts until Wednesday and I just wanted to leave him here :)

Tagged: carl baratthe libertinesdirty pretty things

2nd September 2014

Video reblogged from Hello with 30 notes

I feel really different lately… As a person… And I really feel like changing my blog a bit… And letting go of two of the others temporarily…
And I will… Again… I feel truly sorry for those of you follow me since the beginning…

Tagged: personalbusheverything zenvideo

30th August 2014

Video reblogged from APPLE OF SODOM with 4 notes

Tagged: the libertinescarl baratpete dohertyvideo

30th August 2014

Post

Hoje fui sair com a minha melhor amiga… Já não nos víamos há mais de um ano… E, depois de ela entrar no meu carro e me orientar (eu digo logo “Escolhe para onde queres ir e diz-me o caminho porque já sabes que eu não me oriento para lado nenhum”), disse-me “Eu já me tinha perguntado “O que é feito daquela rapariga? Desapareceu” e, eu já ia a abrir a boca, quando ela disse “Bem eu também”. E era exactamente isso que eu ia dizer porque, para uma desaparecer, é porque a outra também não anda muito longe disso :D
E, já depois disso, estávamos à beira mar a conversar sobre as nossas vidas e eu disse-lhe como cada vez mais tenho dificuldade em encontrar interesse nas pessoas, como sinto uma angústia quando vou assim tomar café com outras amigas minhas ou quando elas me convidam e eu fujo sempre porque antevejo o que vou sentir… É um sentimento horrível de que estou a ver a vida a passar à frente dos meus olhos e eu estou ali encalhada com uma pessoa a falar sobre banalidades que em nada me interessam e, na maioria das vezes, elas falam e eu estou a cantar músicas na minha cabeça e a pensar no que vou fazer quando me vir livre delas… E custa-me fazer isso a certas pessoas que são boas pessoas e, vá-se lá saber porquê, me adoram e querem ver-me mas não consigo sentir o mesmo por elas… E eu disse-lhe que com ela nunca sentia isso porque gostava de estar com ela, porque sempre adorei ouvi-la falar, mesmo que eu nem diga nada, gosto de a ouvir falar e porque ela é diferente de todas as outras pessoas e diz-me coisas sobre mim mesma que mais ninguém me diz ou consegue sequer ver e, com isso, faz-me perceber coisas sobre mim mesma… E ela disse-me “Se calhar é porque quase nunca estamos juntas, só nos vemos de lés a lés” e eu disse que não porque, quando estudávamos juntas estávamos juntas várias vezes e eu sentia o mesmo, ainda que, de facto, me sinta mal e sufocada com relações que implicam obrigações… Uma coisa é estar com alguém muitas vezes porque me apetece e outra é estar com esse alguém muitas vezes porque é suposto estar, logo é uma espécie de obrigação… Uma coisa é estar com ela hoje e saber que estaremos juntas novamente um dia e que esse dia pode ser no final do ano ou daqui a dois anos e, quando isso acontecer, nenhuma de nós vai estar chateada com a outra ou pedir explicações pela ausência prolongada… Uma coisa é uma de nós tomar a iniciativa de marcar um encontro e a outra não sentir no ar a obrigação de retribuir fazendo o mesmo num curto espaço de tempo e, consoante o tempo vai passando, o ar vai ficando cada vez mais pesado e a obrigação começa a deixar-nos com algum sentimento de culpa e, quando damos por isso, já passou tempo demais e já temos vergonha de ir falar com a outra pessoa porque não teremos como lhe explicar uma ausência tão prolongada, logo mais vale nunca mais lhe falarmos e assumir que a amizade morreu e outra coisa é sentirmos esse peso e o outro lado sentir essa falta e começa a haver cobranças e ressentimentos de um lado e do outro há sentimento de culpa e um sentimento de que estamos a sufocar e nenhum dos lados é feliz com isso…
E eu disse-lhe “Mas tu também és assim, tu não és de passar o tempo todo agarrada a uma pessoa” e ela confirmou que sim, que era muito desapegada a esse nível…
E assim se justifica que ela seja a pessoa que permanece há mais anos na minha vida… Já vai fazer 10 anos, é uma década… E pensar que, logo na semana que a conheci, lhe dei boleia e aconteceu uma daquelas tragédias que me persegue e eu pensei “Foda-se, uma merda destas a acontecer logo na primeira viagem que fazemos juntas, ela nunca mais me vai falar” :D Eu sou um íman de pessoas e situações estranhas :D Ainda hoje lhe estava a dizer que só atraía pessoas malucas e ela respondeu-me “Não és só tu que as atrais, tu atrai-las a elas e sentes-te atraída por elas”… E é um facto, sinto mesmo…
Mas eu nem a acho maluca, acho-a apenas diferente das outras pessoas que eu conheço… E não, não tem mesmo nada a ver com o facto de a ver pouquíssimas vezes porque eu lembro-me que, no final do primeiro ano do curso, ela planeava pedir transferência para o Porto e deu-me um livro ou caderno qualquer que ela queria que eu assinasse e escrevesse alguma coisa para ela guardar como recordação e eu não me lembro do que escrevi mas lembro-me de ter escrito que esperava continuar a ser amiga dela, independentemente de continuarmos a estudar juntas ou não e ela leu aquilo e disse “Gostei. Também espero continuar a ser tua amiga. E vamos ser” :)
E eu não escrevo essas coisas porque voltam-se sempre contra mim pelo motivo que referi antes… Uma pessoa assumir que é amiga de alguém implica todo um peso e responsabilidades e obrigações, logo eu não escrevo coisas dessas para não criar falsas expectativas e eu não me meter em sufocos. Mas dela eu queria mesmo continuar a ser amiga, sempre vi nela algo de diferente. Ela acabou por ficar por lá e, no final do curso, lá veio ela pedir uma dedicatória novamente só que era naquela porcaria das fitas. Lembro-me perfeitamente do sofrimento que aquilo foi porque eu nunca tinha escrito numa e eu era a primeira pessoa a quem ela pedia e ela deu-me uma caneta normal e eu escrevo muito e aquilo não pegava e eu tinha que passar a caneta várias vezes para escrever uma letra e demorei mais de uma hora a fazer aquilo :D Nós estávamos num shopping, a fazer um trabalho de grupo, e eu já estava pelos cabelos com aquela merda mas não podia deixar a dedicatória a meio :D Se eu não gostasse tanto dela, tinha mandado foder aquela merda toda! E ela reconheceu isso porque, quando percebeu o trabalho todo que me tinha dado porque a caneta era uma merda, disse-me “Oh que querida” :D

Hoje, quando a deixei na curva que dá para a casa dela, ela disse-me “Pronto, vai escrevendo que eu vou respondendo” :D
E eu não escrevo… Nem eu nem ela, nunca falamos das nossas vidas por email, nunca perguntamos uma à outra se está tudo bem e ainda estamos vivas :D 
No meu aniversário, enviou-me uma sms de parabéns e eu respondi e perguntei-lhe se ela andava pelo Porto. Respondeu-me no dia seguinte, via facebook, dizendo que sim e que, se eu quisesse marcar um encontro para dizer… Deixei passar e esta semana perguntei-lhe o que ela fazia hoje e, como ela não fazia nada de especial, lá nos encontramos. E falamos de tantas coisas e o que a fez ter um ataque de gargalhadas sem fim foi eu lhe ter dito, quando passamos por uma residencial, que me costumava encontrar lá com a Bunny e o gajo achava que eu era uma acompanhante de luxo paga pela Bunny e que ele tentava sempre convencer-me que estava frio e a chover e que eu ficava melhor no quarto dele :D E ela ainda me disse “Então e tu não lhe disseste que ele estava enganado?” e eu disse que não porque ele nunca me disse as coisas directamente, logo eu também não lhe ia dizer “Olhe, desculpe mas eu não sou acompanhante de luxo” sem ele me dizer na cara que era isso que pensava e que estava interessado nos meus serviços :D
É como digo, eu sou um íman de pessoas e situações estranhas :D
Nós até temos aquela private joke do dia em que ela me pediu para faltarmos às duas últimas aulas da tarde para voltarmos para o Porto mais cedo e eu, como é óbvio, aceitei e nós íamos a sair da zona das faculdades e ela estava toda contente a dizer algo como “Que maravilha. Vou chegar cedinho ao Porto, vou fazer o meu yoga” e, cerca de dois minutos depois, PUM, uma gaja bateu-me por trás e eu saí passada da cabeça e ela estava toda nervosa porque ia para um funeral e até tremia e quase chorava e lá tivemos que chamar a polícia e, a dada altura, no meio da confusão, a Susana disse-me “Pronto, lá se foi o meu yoga” :D

Tagged: personal

29th August 2014

Photoset reblogged from mathieu zazzo with 20 notes

matzazzo:

The Libertines, NME cover - photo © Mathieu Zazzo

OH MY GOD, THIS MAN IS SO FLAWLESS <3

Tagged: carl baratthe libertines

29th August 2014

Photoset reblogged from mathieu zazzo with 45 notes

matzazzo:

Peter Doherty, NME cover - Photos © Mathieu Zazzo

Tagged: pete dohertyther libertines

29th August 2014

Photo reblogged from It rages quiet now here beside you... with 17 notes

Tagged: the libertinescarl baratpete doherty

29th August 2014

Photo reblogged from Yo ho ho ! with 77 notes

doctortomblands:

"Take my hand, p33tur…"

doctortomblands:

"Take my hand, p33tur…"

Tagged: the libertinescarl baratpete doherty

29th August 2014

Photo reblogged from Yo ho ho ! with 36 notes

doctortomblands:

You know we cherish you…

doctortomblands:

You know we cherish you…

Tagged: the libertinescarl baratpete doherty

29th August 2014

Photoset reblogged from Shaken And Withdrawn with 25 notes

Tagged: the libertinescarl baratpete doherty

29th August 2014

Quote reblogged from my waterloo with 74 notes

You better fucking nominate Carl
— Probably everybody in the Libertines fandom right now (via wherethetruthbegins)

So true!!!

Tagged: carl baratthe libertinesice bucket challenge

29th August 2014

Video reblogged from Cajun Sunshine! with 20 notes

O Verão de 2008 foi primeiro Verão do meu namoro com o Tiago… Os pais dele tinham ido passar duas semanas ao Algarve e ele tinha ficado em casa e eu tinha ido passar o fim-de-semana com ele e, no Sábado à noite, fomos sair com um amigo dele. O rapaz é gay e era apaixonado pelo Tiago mas o Tiago tinha imensos ciúmes dele porque, no Rock In Rio, nós estávamos a ver o concerto de Machine Head e eu disse que o vocalista era muito sexy e o Tiago disse que gostava que o cabelo dele fosse assim liso como o dele e eu tive a infeliz ideia de dizer que o cabelo do vocalista era parecido com o desse amigo dele e, a partir desse momento, ele meteu na cabeça dele que eu tinha um fraquinho pelo rapaz. E, nessa noite, estava tudo na boa e eles estavam a fumar no terraço da FNAC e eu estava com eles e o Tiago pediu-me bolachas e eu abri a carteira e disse-lhe que tirasse e eles tombou o pacote na minha carteira e teve que as apanhar. E eu ri-me. Nem gargalhei nem nada, só me ri e o amigo dele também. Só isso. E o Tiago começou com as merdas do “Tu não me tratas assim” e do “depois falamos em casa” e deixou de me falar e ia mandando bocas que eu achava que era isto e aquilo. E eu a leste do que tinha feito mas, vindo dele, até era possível que eu tivesse tocado sem querer com o cabelo na cara dele e ele achasse que eu estava a manifestar desprezo por ele. O amigo dele vivia a cinco minutos da casa dele, por isso fomos levá-lo a casa e seguimos em silêncio para casa dele. Ele chegou a casa e  continuava sem me falar e foi fazer uma pizza e disse-me para pôr um dos dvds que eu tinha levado e eu coloquei o “Soulmates Never Die” dos Placebo. E eu estava sentada num sofá a ver o dvd e ele no outro a comer, sempre sem dizer nada, uma coisa insuportável de tão pesada que era. Quando ele acabou de comer, disse-me “Sabes que temos de falar, certo? Tu não penses que me vais continuar a tratar assim”. E eu perguntei-lhe o que tinha eu feito e ele disse-me que tinha visto o sorriso que eu tinha trocado com o amigo GAY dele quando ele tombou as bolachas. E não era verdade mas ele insistiu que tinha visto e que eu tinha gozado com a cara dele e disse-me que era melhor terminarmos o namoro e eu concordei. E ele passou-se da cabeça e começou a atirar-me com as coisas todas que eu lhe tinha dado e tivemos uma discussão horrível e eu não tinha carro, logo não podia ir embora, e era tarde para pedir a alguém que me fosse buscar e fechei-me na sala. E o dvd estava sempre a tocar durante o tempo todo. E eu estava sempre a olhar para a porta porque achava que ele podia passar-se da cabeça e ir-me lá chatear e eu vi-o passar para a cozinha e ele nunca mas saía de lá e eu estranhei ou tive um pressentimento ou sei lá o que foi que me fez sair e ir ver o que se passava com ele e, daí para a frente foi uma coisa horrível. Foi dos piores momentos que vivi em toda a minha vida porque ele queria suicidar-se e, como eu o tentei impedir, fugiu para a casa-de-banho e trancou-se e eu chorei tanto e disse-lhe tudo e mais alguma coisa para conseguir que ele me abrisse a porta e eu pensava que não tinha carro e os pais dele estavam no Algarve e, se lhe acontecia alguma coisa, eu não ia conseguir fazer nada e como é que eu ia dizer uma coisa daquelas aos pais dele sendo que a culpa era minha porque ele se queria suicidar por minha causa. E o dvd já tinha parado e estava no menu e era sempre esta música que tocava non stop… E eu nunca mais me esqueci disso… Nunca mais me esquci desta música a tocar e eu a bater e dar pontapés na porta da casa-de-banho e quando ele a abriu, ele estava tão mal e ele só me pediu que não o deixasse e não parava de chorar. A música só parou de tocar quando consegui levá-lo para a sala porque ele não queria ir para a cama porque achava que eu me ia embora mal ele adormecesse e eu só o consegui convencer a dormir no meu colo, no sofá da sala e, mesmo assim, ele dormiu todo agarrado a mim para me impedir de sair… E continuamos a ver o dvd até ele adormecer e há duas outras músicas desse dvd que ficaram desse momento mas esta é esta… E é linda… Lindíssima… E, contrariamente ao que se pudesse pensar, ouvi-la não me deixa triste porque, infelizmente, o que eu passei naquela noite passei muitas outras vezes de maneiras muito piores e é algo que passou e, quando me lembro disso, fico feliz por pensar que é algo que, aparentemente, ficou no passado. E passar por coisas piores faz com que uma noite como aquela até nem pareça assim tão má porque eu estava lá e pude fazer alguma coisa. E, contrariamente ao que as pessoas possam pensar, ver as coisas a acontecer à frente dos nossos olhos é muito melhor do que ao longe, do que um telefonema da pessoa que se ama, bêbada, com barulho de carros à volta, a dizer que se vai suicidar e a culpa é nossa ou a mexer numa arma e, de repente, desligar o telefone e nunca mais atender… É muito pior não ver e não estar lá e não se poder fazer nada… A noite em casa dele é uma coisa que eu até consigo romantizar, podia ser uma cena de um filme, tínhamos banda sonora e tudo…
E, depois disso, já estive apaixonada por uma pessoa que adorava esta música e a colocava várias vezes, logo a música até me faz lembrar ambas as pessoas e momentos diferentes…
É especial, é linda e é outra que faz parte da minha vida…

Tagged: placeborunning up that hillpersonal

29th August 2014

Photo reblogged from Daily Actress with 123 notes


Keira Knightley in Interview Magazine’s September Issue

Keira Knightley in Interview Magazine’s September Issue

Tagged: keira knightley

29th August 2014

Photo reblogged from Color' e cani fuendi with 10 notes

Tagged: stoya

29th August 2014

Audio post reblogged from Hectic Dreams... with 611 notes - Played 6,271 times

hekso:

Brite Lites - Lana del Rey

Tagged: lana del reybrite lites